VARIAÇÕES

VARIAÇÕES

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

HISTORINHA BREVE DE UM CACHORRO

Eu havia ido ali naquele local para tirar umas fotos. De repente, quando olhei para trás, vi um cachorro. Parecia um cachorro sem dono. Como sempre faço, dou uma olhadinha para o bichinho e estalo os meus dedos, geralmente o bichinho sacode a cauda e vai embora. Dessa vez foi diferente, o cachorro olhou pra mim e veio em minha direção como se quisesse dizer:- Você precisa de um cachorro. Eu estou disponível, me leva com você.
Eu olhei pra ele e disse:- Bichinho bonito e carente, nem me venha com esse olhar! Já conheço essa carinha, não preciso de um cachorro, apesar de você ser muito bonitinho. Mas não dá, e além do mais eu estou a muitos quilômetros de distância da minha casa. Melhor você procurar outra pessoa para te adotar.
Passados alguns instantes, outra pessoa passou por ali e assobiou para o cachorro, então ele me deu uma olhada como se quisesse dizer: Está bem, estou saindo fora. Sabe como é, preciso me garantir, vai que alguém se interessa por mim.

Lita Duarte

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

A ANDARILHA

Bina era o nome da mulher que andava pelas ruas da cidade. Diziam que ela era louca.
As crianças sentiam por ela um misto de encantamento e medo. Ela era daquelas pessoas que olhava nos os olhos dos outros e dizia:- O que é? Você perdeu alguma coisa?
Ninguém nunca foi agredido por ela, mas por cautela mantinham uma certa distância daquela pessoa franzina e atirada.

Ela morava em uma vila distante, em uma casa de madeira, mas muito limpa. Ao sair andando pelas ruas da velha cidade, sempre tinha um cachorro que lhe acompanhava.
Muitas vezes ela pedia comida na casa dos outros. As pessoas davam, porque no fundo sentiam dó daquela pessoa tão solta, mas ao mesmo tempo tão carente.

Certa vez, estava chovendo muito, parecia que o mundo ia desabar, Bina, não conseguiu voltar para sua casa e acabou ficando pela cidade tentando encontrar um abrigo.
Choveu a noite toda. No dia seguinte quando amanheceu e a cidade voltou à rotina, surgiu um comentário de que a Bina havia aprontado das suas.
Aconteceu o seguinte: O coveiro do cemitério da cidade quando entrou no alojamento onde ficava o caixão dos pobres, tomou o maior susto. Ele viu alguém sair de dentro dele e perguntar assim:- E a chuva, já passou? Esse alguém era a Bina. Sabem como é, cidade pequena de antigamente todos ficavam sabendo dos acontecimentos.
A andarilha Bina era tão conhecida que até hoje os antigos moradores da cidade contam essa história.


Imagem: Isaac Levitan

Lita Duarte

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

O TAMANHO DAS PESSOAS

"Os Tamanhos variam conforme o grau de envolvimento...
Uma pessoa é enorme para ti, quando fala do que leu e viveu,
quando te trata com carinho e respeito,
quando te olha nos olhos e sorri .

É pequena para ti quando só pensa em si mesma,
quando se comporta de uma maneira pouco gentil,
quando fracassa justamente no momento em que
teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas:
a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e até mesmo o amor.

Uma pessoa é gigante para ti quando se interessa pela tua vida,
quando procura alternativas para o seu crescimento,
quando sonha junto contigo.

É pequena quando se desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela,
mas de acordo com o que espera de si mesma.
Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos da moda.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou pequenez dentro de um relacionamento,
pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas.

Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande.

Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.


É difícil conviver com esta elasticidade:
as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos.
O nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros,
mas de ações e reações, de expectativas e frustrações.

Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente torna-se mais uma.
O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande...

É a sua sensibilidade, sem tamanho..."

William Shakespeare

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

NADA É FÁCIL

"A cada dia, mesmo sem saber, sem querer, estamos nos criando. Ninguém pode nos dizer que será fácil. O fácil pode ser desinteressante, e merecemos ao menos alguma vez fazer, querer, ser, o interessante, o audacioso, apesar dessa incrível sensação de fragilidade que nos acompanha."

Lya Luft